sexta-feira, 1 de maio de 2015

A pegadinha do eu passado

Há uns dias falei da pegadinha do eu futuro (a mania que a gente tem de empurrarmos atitudes que precisamos tomar para depois, na esperança que nossos eus futuros tenham mais disposição - e sim, tem tudo a ver com procrastinação).

Aí fiquei pensando que às vezes as pessoas também avaliam mal seus eus passado. Isto é, ficam pensando que podiam ter se esforçado mais, ou tomado decisões diferentes, ou, ou...

Em outras palavras, imaginam que o eu passado tinha mais tempo, mais informação ou mais sabedoria que o eu de hoje - e não tomaram a decisão "certa" porque fizeram corpo mole ou não quiseram parar pra pensar. E não é verdade, né?

É claro que a gente comete erros e é legal ter consciência deles, até para corrigi-los. O que não dá é pra julgar o nosso eu de um ou vários anos atrás com o conhecimento e a experiência que temos hoje. Porque naquela época, claro, a gente não tinha!

(Sem falar que o universo é um brincalhão. Restrições que pareciam sensatas no momento podem acabar se revelando desnecessárias, e grandes riscos podem compensar - assim como tudo pode dar errado.)

Então, acho que o melhor é considerar que os "eus passados" fizeram o melhor que podiam naquelas circunstâncias. E parar de prestar atenção demais na imagem do retrovisor. (Eu sei, é brega. Mas foi a imagem que eu achei. Literal e metaforicamente.)

7 comentários:

  1. Hindsight is always 20/20...
    Adoro esse ditado, só não consigo achar uma tradução decente.
    Tem mesmo que desapegar do passado, e nos perdoarmos a nós mesmos por eventuais erros - fizemos o que podíamos com o que sabíamos à época. E torcer pra não cometer os mesmos erros de novo - pelo menos os erros novos tem sabor de ineditismo ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erros novos! Erros novos!
      Taí um bom objetivo de vida =D.

      Excluir
  2. é verdade, eu sempre me pego cobrando meu eu passado. tanta coisa que devia ter feito lá atrás e não fiz... mas não adianta mesmo cobrar do passado ou do futuro, tudo é desculpa pra gente não fazer agora, né? adorei a reflexão! tô bem nessa vibe :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente resumo dos dois posts, Jessica: "tudo é desculpa pra gente não fazer nada agora".
      Vamos racionalizar a preguicinha como, então? =D

      Excluir
  3. Aproveitando o assunto, a quem interessar, um teste para identificar seu tipo de procrastinador:

    http://www.playbuzz.com/sidartal10/que-tipo-de-procrastinador-voc

    É baseado no livro de uma psicóloga chamada Linda Sapadin (“It’s About Time!: The Six Styles of Procrastination and How to Overcome Them”, Penguin Books, 1997).

    ResponderExcluir
  4. Esse livro parece muito interessante, Andrea. Vou procurar.
    Quanto ao teste, fiquei feliz: achei que minha procrastinação era devida à preguiça, mas é ao perfeccionismo mesmo =D.

    ResponderExcluir
  5. É um resultado mais comum do que você pensa! Que legal que gostou. Compartilhe com quem puder. Vai que ajuda.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...